DEDO EM GATILHO

Nossos tendões flexores atravessam o punho e chegam até a ponta dos dedos percorrendo pequenos túneis chamados de “polias”. Elas servem para manter os tendões bem posicionados durante os movimentos dos dedos. É necessário de um espaço adequado e de líquido sinovial para lubrificar o deslizamento dos tendões nas polias.

Caso haja um desequilíbrio disso, ocorre um atrito local que pode levar a um espaçamento tendíneo ou diminuição do espaço da polia, fazendo o tendão trancar ao deslizar, configurando o dedo em gatilho.

Ocorre até seis vezes mais em mulheres e pode acometer múltiplos dedos. O mais comum é o polegar. A causa é desconhecida, mas está relacionada com movimentos repetitivos e outras comorbidades, como diabetes, artrite reumatoide, gota, insuficiência renal, tabagismo, entre outras.

Existem estágios em que pode se apresentar e evoluir, iniciando com apenas dor local, trancando e destrancando durante o movimento, necessidade de utilizar a outra mão para destrancar e até o dedo completamente trancado em posição de flexão ou extensão. Dependendo do estágio em que se apresentar na consulta e o quanto isto está atrapalhando em suas atividades diárias, é proposto um tratamento.

O tratamento varia conforme os estágios citados. Podemos apenas observar a evolução, com alguns cuidados e exercícios diários um percentual de pacientes resolve espontaneamente, outra opção é a infiltração com corticoide em uma tentativa de evitar a cirurgia, ou finalmente, a liberação cirúrgica curativa, que pode ser realizada com sedação ou apenas com anestesia local, conforme preferência do paciente.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Copyright © 2021 Dr Fernando Sirena